A Villa

Sobre as colinas da Toscana, em Lastra a Signa, Itália, encontra-se a Villa Montebello Colombo, construída na segunda metade do século XIX e que durante vários anos albergou histórias familiares. Atualmente, e pela primeira vez, abre suas portas aos hospedes que desejam conhecer esta maravilha.

A casa principal conta com 1.100 m2 cobertos e está rodeada por sete hectares de parque com oliveiras e uma piscina. Do jardim e terraços os visitantes poderão desfrutar de uma vista privilegiada da planície Toscana e da cidade de Florença. A vista de uma janela ou de um dos terraços devolverá uma das imagens que cativou a Miguel Ângelo.

A Villa hospeda comodamente até doze pessoas em dois andares e uma cobertura no terceiro andar. A sala principal está comunicada diretamente com o terraço e tem cômodos sofás e uma lareira para passar as tardes ao seu redor. A cozinha, recentemente renovada e totalmente equipada, completa a comodidade do lugar. Com um estilo tipicamente toscano de fins de século XIX, os quartos e salas estão decorados com móveis originais da época e readaptados com a atual tecnologia a fim de criar ambientes agradáveis, mágicos e aconchegantes.

Sua localização estratégica, a quinze minutos de Florença, uma das cidades mais interessantes e mais ricas em história e arte, a consagra como um lugar ideal para férias tanto de aprendizagem como de descanso. Também é um excelente ponto de partida para fazer excursões e percorrer outras cidades: San Gimignano, Siena, Pisa, Lucca, Arezzo... Porém, como muitos dizem, ao chegar a Villa Montebello Colombo se prefere ficar ali mesmo, na piscina, debaixo das oliveiras, no terraço, contemplando a cúpula do Duomo ao longe, à noite, caminhando ao redor do parque e desfrutando dos instantes infinitos do paraíso.

História

Villa Montebello Colombo encontra-se na vizinhança de Lastra a Signa, povoado localizado a 14 km da cidade de Florença. Foi edificada durante o século XIX e está situada nas colinas da Toscana, em um lugar privilegiado com vista ao Valle del Arno e da própria cidade da Florença. Considerada patrimônio arquitetônico da área, faz parte do tipo de construção que requer de autorização da Comunidade para fazer qualquer modificação.

Além de Florença a área em que se situa está rodeada de outros centros que foram habitados há séculos, como Signa e Malmantile.

Já na época pré-histórica, e encima das colinas da vizinhança de Lastra a Signa, existiram pequenos assentamentos assim como também existiam pequenos presídios do “Villaggio Cardine” que surgiam sobre a costa direita do Arno e cujo vale avista-se da Villa. Nesse povoado foi situada a necrópole na área da República Di Firenze, com o descobrimento de interessantes objetos arqueológicos e de fragmentos ósseos.

Entre os séculos VI e IV antes da Era Comum, essas terras foram habitadas pelo povo Etrusco que deu origem a Fiesole.

No ano 59 antes da Era Comum, nasce Florentia, colônia romana da qual ainda percebe-se a grade viária ortoganal.

No século XII aproximadamente existia a fortaleza de Gangalandi, destruída supostamente em 1326. Nessa mesma época, o pequeno povo de Lastra, despojado de defesas, foi alvo de diversos saques cometidos, já sejam por povos vizinhos ou por outros povos bárbaros invasores.

Como consequência dos saques ocorridos em 1437, a República Florentina resolveu intervir fortificando os dois povos de Lastra e Malmantile. A decisão remonta-se aos primeiros meses do ano de 1400, mas a finalização dos muros das fronteiras não ocorreu até 1438. Nesse mesmo ano está documentada a intervenção de Brunelleschi como supervisor das fortificações, parte das quais ainda subsistem até a atualidade. A conclusão dos trabalhos foi encomendada a Battista d’Antonio.

No recinto localizado ao interior da muralha foram construídos: a Igreja da Misericórdia, o Tabernáculo do prefeito e o Palazzo Pretorio como também o “Spedale” cuja função era hospedar os peregrinos em trânsito por Lastra.

A Villa encontra-se situada sobre a Via del Fantone, antigo e pitoresco caminho de colina, hoje pavimentado, que unia e ainda une o povo de Lastra com o de Malmantile.

Provavelmente o muro posterior dos jardins da Villa remonta à época da construção da Villa.

Da mesma época data-se uma antiga torre de pedra destruída no final da Segunda Guerra Mundial de onde podia observar-se o extraordinário panorama que se avista ainda hoje das janelas da residência orientadas para a comuna Levante.